Yves Saint Laurent

No dia 1 de agosto de 1936 nasceu Yves Henri Donat Dave Mathieu Saint-Laurent na cidade de Orã na Argélia Francesa, segundo o site do Canal bio, sua família era muito rica e desde criança ele já se interessava por coisas de moda como as revistas da sua mãe e das suas irmãs.

Segundo GARCIA, em 1954, Yves Saint Laurent foi morar em Paris e começou a estudar na “Chambre Syndicale de la Haute Couture”. Pouco tempo depois, participou de um concurso onde ganhou em primeiro lugar, impressionando o editor francês Michel de Brunhoff e o próprio Christian Dior, que imediatamente o contratou para trabalhar em sua grife. De acordo com o site do Canal bio, antes de seu falecimento, Christian Dior, nomeou Yves Sant Laurent como seu sucessor, assim, em 1957, Yves assumiu seu posto como designer na Maison Dior. Seu primeiro desfile como designer da Maison Dior foi em 1958, apresentando vestidos trapézios que se tornaram um grande sucesso da época.

Em 1960, segundo o site do Canal bio, Yves foi convocado pelo exército de seu país para lutar na guerra de independência da Argélia, deixando seu posto na Maison Dior. Acabou sendo internado no hospital militar psiquiátrico por estar com depressão, conseguindo sair de lá com a ajuda de seu amigo Pierre Bergé. Neste período a Maison Dior o demitiu e ao sair do hospital Yves processa a marca por quebra de contrato e ganha, com o dinheiro ganho ele investiu e abriu sua própria Maison.

Yves inspirava suas criações em vários artistas, como Pablo Picasso, Georges Braque, Andy Warhol, Velázquez e Delacroix, diz GUARCIA, e em 1965, ele fez um de seus vestidos mais celebres inspirado nos trabalhos do holandês Piet Mondrian, um vestido tubinho pintado como o quadro de Mondrian.

Em 1969, de acordo com o site Portais da moda , Yves Saint Laurent revolucionou o vestuário feminino ao introduzir o terno em um de seus desfiles, passando a ser chamado de terninhos e usado até nos dias atuais. E em 1971, a aposta foram os blazers, com os ombros impecáveis, que assim como o terninho ainda é usado hoje em dia.

JONES (2005) afirma que, Yves lançou uma segunda grife chamada Rive Gauche, onde as roupas eram vendidas como prêt-a-porter, sendo o primeiro a popularizar o prêt-a-porter.

Nos anos 80, de acordo com o site Canal bio, sua marca já era avaliada por centenas de milhões de dólares, e a sigla YSL se tornou símbolo de luxo e passou a ser imortalizada no mundo da moda.

No dia 7 de janeiro de 2002, Yves Saint Laurent, decidiu se aposentar do seu trabalho que tanto amava, GARCIA diz que “seu sentimento era de desgosto por uma indústria que se rege pelo comércio em detrimento da arte.” Assim no dia 22 de janeiro deste mesmo ano, aconteceu seu ultimo desfile com duração de uma hora e meia, contando com 60 modelos desfilando todos os seus maiores sucessos.

No ano de 2008, Yves veio a falecer vítima de câncer cerebral, segundo o site Canal bio, sua marca continua forte até os dias atuais. Seu nome é sinônimo de luxo e glamour na alta costura e suas roupas são de grande inspiração a todos.

E neste ano foi lançado o primeiro filme sobre sua vida. Dois filmes estavam sendo gravados ao mesmo tempo, um com direção do Bertrand Bonello e o segundo dirigido por Jalil Lespert, mas foi o segundo escolhido por Pierre Bergé, parceiro de vida e de negócios de Yves, como o preferido para ser gravado. Assim abriu as portas da Maison do estilista com 5.000 looks, 15.000 acessórios e 35.000 croquis, além do seu ultimo ateliê. Fazendo várias cenas do filme usando artigos do próprio Yves Saint Laurent.

Para todos que são apaixonados por moda, com certeza esse filme vai ser um dos mais esperados para seu lançamento. Assistam ao trailer:

Site: http://www.ysl.com

Instagram: yslexoerience

Modelo: Rick Genest

Image

Rick Genest é um modelo canadense que ficou conhecido pelo mundo por ter quase 100% do corpo tatuado. Suas tatuagens o fazem lembrar um cadáver, por isso Genest ganhou o apelido de Zombie Boy (menino zumbi) na adolescência.

Rick nasceu em Châteauguay, subúrbios de Montreal e é o mais velho de dois irmãos. De acordo com sua mãe, ele esperou até os 16 anos — em respeito a ela e seu pai — para fazer sua primeira tatuagem: uma caveira com ossos cruzados, no ombro esquerdo. Aos 17 anos, após terminar o liceu, saiu de casa e ‘mergulhou’ no punk e foi iniciado na cena de piercings e das tatuagens, mas só aos 21 anos procurou o artista Frank Lewis, responsável por criar a maior parte de suas tatuagens (cerca de oitenta por cento do corpo de Rick foram feitas por ele) . O processo durou mais que 6 anos e Rick gastou muito dinheiro no que considera ser uma obra de arte, concebida por para retratar “o corpo humano como um corpo em decomposição, a arte de um cadáver apodrecendo”, e também um “tributo aos filmes de horror”, seu gênero favorito. Ele tornou-se uma figura popular no cenário underground de Montreal, mas passou por dificuldades financeiras e acabou se tornando um sem-teto.

Em uma entrevista, Zombie Boy diz à respeito das escolhas de suas belas e dramáticas tatuagens, “Eu uso minhas tatuagens como vetores de uma mensagem expressando o que eu sinto. Existem várias razões para a minha escolha. Primeiro, o mito do zumbi com origem em pessoas enterradas vivas no tempo da peste ter sido algo verdadeiro para mim em minha infância. Eu fiquei seriamente doente, fui afetado física e mentalmente… Eu parecia um zumbi. (…) Além disso, essas criaturas são muitas vezes vistas na arte literária e cinematográfica como um símbolo da xenofobia latente. Isso também se aplica a mim, já que, durante a minha adolescência, fui rejeitado, odiado e incompreendido muitas vezes. Finalmente, o zumbi encarna a rebelião contra o consumo excessivo, contra as próprias leis da natureza. A este respeito, gostaria de citar o filósofo William James Durant, que disse “Uma grande civilização não é conquistada de fora, a menos que ela seja destruída por dentro”.

Image

Em 5 de março de 2010, uma página do Facebook foi criada sobre a escolha inusitada de Rick por suas tatuagens. A página chegou a ter mais de 1,5 milhões de membros, e culminou com a descoberta de Rick por Nicola Formichetti, diretor de moda de Lady Gaga.

Em 19 de janeiro de 2011, Rick apareceu na coleção outono/inverno masculina da Mugler como modelo principal. O desfile não havia sido originalmente planejado e foi, de fato, resultado da descoberta de Rick por Formichetti e subsequente promoção por Lady Gaga. A descoberta de Rick também provocou um desfile do próprio Formichetti. A apresentação foi acompanhada de um vídeo de Rick produzido pelo fotógrafo de moda Mariano Vivanco. Rick ainda apareceu ao lado de Lady Gaga no desfile da coleção outono/inverno feminina do mesmo ano, e no clipe da canção Born This Way, que teve sua estréia no dia 28 de fevereiro de 2011.

Image

Também em 2011, Zombie Boy participou de uma campanha publicitária para os produtos de maquiagem da Dermablend, sem nenhuma tatuagem. No comercial, que possui a assinatura “Go Beyond The Cover”, “Vá além da capa” (traduzido), ele aparece tirando a camisa e virando para a câmera, logo depois ele pega uma esponja com removedor da marca e passa no corpo e rosto, revelando as suas tatuagens. O vídeo também mostra o processo que Rick passou para cobrir as suas tatuagens. Confira o vídeo:

Nome: Rick Genest

Nascimento: 7 de Agosto de 1985

Instagram: @rickgenest

Marca: [FYI]

A marca FYI foi uma aposta do Grupo Animale, criada no ano de 2012, e segundo Joyce Silva a marca já está presente em 500 multimarcas no Brasil. Quem assina a marca é a Renata Simões, que já trabalhava há seis anos para a Animale.

A sigla FYI significa For Your Information, que traduzido para o português seria “Para sua informação”, foi criada na intenção de atingir um público mais jovem do que a marca Animale trabalha, é voltada para garotas de 18 à 28 anos, que gostam de artes, música, viajar, são inteligentes, gostam de se divertir e são ligadas a cultura.

A marca tem um marketing forte, já está em todas as redes sociais, onde tem contato direto com seu público, e faz algumas ações de marketing inusitadas que acabam chamando a atenção das pessoas. Uma delas foi o Grafitti Day Party, onde as pessoas iam à loja da FYI e compravam peças que eram grafitadas na hora. Outra ação foi pendurar balanços de madeira coloridos com frases escritas neles pela cidade do Rio de Janeiro.

As lojas da marca são todas decoradas de acordo com as coleções e são bem diferentes, quem morar em uma cidade que tenha a loja vale a pena ir conhecer!

Um pouco da coleção desse verão

ImageImage

Site da marca: http://www.fyistore.com.br/

Instagram: fyistore

It girl: Alexa Chung

 Image

Alexa nasceu no dia 5 de novembro de 1983 em Privett, Hampshire, Inglaterra. Aos 16 anos foi contratada por uma agência de modelos e começou uma carreira onde posou para várias revistas de moda, participou de clips de bandas, desfilou pra grandes marcas e foi e ainda é garota propaganda de várias marcas de moda.

Em 2006 foi convidada para apresentar um programa de música famoso chamado “Popworld”, mas foi quando ela decidiu se mudar os Estados Unidos e começou a apresentar o programa “It’s On with Alexa Chung” na MTV que ela começou a ser considerada um ícone de moda. Sempre criativa e com um estilo próprio dentro e fora das telinhas, Alexa passou a ser considerada uma It girl, e é amada por vários fashionistas. E hoje quando se fala de It girl a Alexa Chung é uma das primeiras a ser pensada, por isso em 2009 foi chamada para ser editora contribuinte pela Vogue britânica, onde teve a chance de entrevistar grandes estilistas. No mesmo ano a empresa de malas “Mulberry” criou uma bolsa nomeada e inspirada em Chung, chamando-a de “Alexa”.

Ela é considerada a nova Kate Moss dessa geração pelo New York Times e em 2010 ganhou o prêmio de Estilo Britânico entre vários outros prêmios. No ano passado, ela lançou seu primeiro livro, entitulado como “It”, melhor nome não teria não?! No livro ela fala um pouco sobre seus gostos, dá algumas dicas de moda, dicas de músicas, quase que como um livro sobre seus pensamentos, ainda não chegou no Brasil uma versão traduzida, para quem não quiser esperar no site da Amazon ele já está disponível para venda, mas só em inglês.

ImageImageImageImage

 

Instagram: chungalexa

Modelo: Cara Delevingne

Cara

Com certeza você já deve ter visto o rosto dela em alguma revista, Cara Delevigne se tornou uma das modelos mais cools dessa temporada, sendo chamada para vários desfiles no ano de 2013, continua sendo a garota propaganda da Burberry (marca de roupas e acessórios de luxo), é uma das Angels da Victoria Secrets, foi considerada a nova Twiggy pela revista francesa Jalouse e ganhou o prêmio de modelo do ano do British Fashion Awards em 2012.

Nascida em Londres no dia 12 de agosto de 1992, filha de uma personal shopper e um agente imobiliário e irmã da Poppy Delevingne, que é considerada uma das It girls inglesas. Quando jovem foi modelo de uma marca de chocolate chamada Cadbury, seu único trabalho de mais destaque foi em 2009 em um editorial da revista “Love”, onde aparecia brevemente.

Ela entrou realmente para o mundo da moda quando foi chamada pra desfilar pela primeira vez para a marca Burberry. Christopher Bailey, diretor criativo da Burberry, ficou encantado pela jovem de apenas 20 anos e a convidou para ser garota propaganda da marca nas campanhas de vestuário e beleza de Primavera/Verão 2012 e assim continua a parceria até hoje. E foi graças a essa marca que Cara surgiu no mundo da moda e todos parecem querer um pouco dela, conquistando todos com suas sombrancelhas marcates, os olhos azuis e seu bom humor. 

Além de modelo e cantora, sim, ela também canta, Cara diz que seu sonho é ser atriz, e no ano de 2012 fez uma pequena participação no filme Anna Karenina, como a princesa Sorokina. 

Cara

 

Nome: Cara Jocelyn Delevingne

Altura: 1,77cm

Instagram: @Caradelebingne

COCO CHANEL

Gabrielle Bonheur Chanel nasceu em 19 de agosto de 1883 em Paris. Era de uma família humilde, seu pai era feirante e sua mãe doméstica. Devido a morte da sua mãe, Gabrielle e suas irmãs foram educadas em um colégio interno. Aos 18 anos fugiu do colégio e conseguiu emprego em uma loja de enxovais e lá aprendeu a costurar.

Em 1907-1908, Gabrielle tentou entrar no music hall, cantando em cabarés, ganhando assim seu apelido Coco, que era o refrão de uma das músicas que cantava.

A vida de Coco é marcada por vários romances, dos quais a ajudaram a construir sua marca. Em 1910, conheceu o milionário Arthur Capel, que a ajudou abrir sua primeira loja de chapéus. Seus chapéus passaram a ser usados pelas damas da mais alta sociedade e assim sua marca, Chanel, começou a ser valorizada.

Com todo seu talento, Chanel, decidiu expandir seus negócios dos chapéus para as roupas, construindo agora sua fama no mundo da moda por revolucionar o modo de se vestir das mulheres. Coco falava que os homens não sabiam como vestir as mulheres de forma confortável, suas roupas eram parecidas com as masculinas e introduzindo a calça para o vestuário feminino. Saias mais curtas e o estilo navy também são sua marca no mundo da moda.

Na década de 20, Coco já era um ícone da moda, fazia roupas para artistas de Hollywood, e seu perfume, Chanel nº5 foi lançado, famoso até nos dias atuais pela sua fragrância.

Na Segunda Guerra Mundial, não havia muitos recursos para a moda e Coco decidiu ajudar na guerra sendo enfermeira. Após a guerra retomou seu trabalho na moda, tendo como uma de suas adoradoras a primeira dama dos EUA, Jackie Kennedy, tornando seus tailleurs super famosos. Na década de 50, além de seus tailleurs, o vestido preto e as pérolas foram o seu marco dessa vez.

Faleceu em 10 de janeiro de 1971, em Paris, de um ataque cardíaco, no hotel Ritz.

Seu nome, sua marca e seus produtos são muito cobiçados até nos dias atuais, ter um artigo Chanel é só para quem pode, o que a torna um ícone da moda!

Para saber sobre a sua história assista o filme Coco, antes de Chanel.

Desfile da Ellus no SPFW Outono/Inverno 2014

A marca fez um grande desfile no Salão Nobre do Theatro Municipal, Se inspirou em vários temas como esportes de montanha, guarda-roupa clássico do lenhador e Japão. Para os tecidos e materiais usados foram o denim em tratamentos e lavagens diversas, couro, lã, jacquards e bordados no jeans e no couro com paetê, cristal, canutilho e miçanga. E para as cores tons fortes e escuros como o preto, cinza, vermelho e caque.

A marca usou cada inspiração de forma espetacular, transformando o desfile jovem e contemporâneo, muitas vezes usando vários materiais em um único look deixando-o totalmente descolado. Jardineiras, quimonos de couro, jaquetas com vários bolsos, coletes que parecem ser de pele e alfaiataria em jeans e muito jeans, que para a marca é uma celebração a volta desse material que é a matéria-prima principal da marca.

Chega de falar, apreciem essa coleção!

ImageImageImageImageImageImageImageImageImageImage